DÚVIDAS FREQUENTES

O que significa aplicar a sustentabilidade em um projeto ?

 

 

A arquitetura sustentável visa uma melhor utilização dos recursos naturais, por esse
motivo se evitam uma série de desperdícios. Principalmente em relação à água e a
energia elétrica, visando um melhor aproveitamento de ambos.
O uso de mais janelas para evitar o uso de energia elétrica, também é bastante usual na
arquitetura sustentável, bem como escolha de lâmpadas mais econômicas (as lâmpadas
fluorescentes ou led) no lugar das lâmpadas usuais. Também em um projeto sustentável é
preferível uma ventilação natural nos ambientes, ao invés de ar-condicionado ou
aquecedores, que são altamente poluentes à natureza.
Outra preocupação na hora da construção e durante o projeto arquitetônico é a utilização
de materiais renováveis e ecologicamente indicados.
Na construção civil há a preocupação com a criação de áreas verdes tanto para o plantio,
como para proporcionar mais conforto e contribuir para a redução do gás carbônico na
natureza.
O gerenciamento dos resíduos também é muito importante se prever
A nova maneira de projetar está surgindo de forma definitiva; o foco estético não será
mais o foco da arquitetura, pois devemos pensar no bem do nosso planeta e das futuras
gerações, mas é claro que se pudermos incorporar o senso estético será mais satisfatório.

 

 

É possível implementar a sustentabilidade em um projeto arquitetônico sem reformular a
arquitetura ?

 


A arquitetura é a base para um projeto arquitetônico, se estamos tratando e utilizando os principais conceitos (análise do plano diretor, análise da legislação, estudo do terreno, elaboração de cartas solares, estudo do impacto ambiental, softwares de otimização
dentre outros) estaremos o conformando dentro da sustentabilidade ambiental, um dos pontos que a sustentabilidade determina; seria necessário também a averiguação dos outros pontos primordiais da sustentabilidade- cultural, econômico,social- de acordo com as circunstâncias locais. Deve-se estudar o que deve ser prioridade um em relação ao outro e o que se quer realçar (exemplo: se temos um
município, em que não tem-se uma cultura que cultive a sustentabilidade em seus
princípios, talvez devemos dar prioridade à esse aspecto em relação aos outros, pois se
estará dando referências para um novo modo de agir e assim para o desenvolvimento de
uma comunidade); estaremos estruturando os outros pontos em questão para que haja uma
ascensão progressiva e racional; desse modo estaremos informando educativamente, sem
agredir uma cultura que talvez esteja em dissonância à maneira de agir, pois até então

estava estagnada como um processo burocrático que não interferimos porque sempre foi assim e dessa maneira.
 

Como é a maneira de se abordar um projeto sustentável ?

 


A sustentabilidade é o cumprimento do desenvolvimento de um projeto observando e
definindo diretrizes para os setores: ambiental, cultural, social e financeiro. Não se pode
dizer que um projeto é sustentável se não há o envolvimento de todos esses aspectos.
A elaboração de um projeto de arquitetura na busca por uma maior sustentabilidade deve
considerar todo o ciclo de vida da edificação, incluindo seu uso, manutenção e sua
reciclagem ou demolição. O caminho para a sustentabilidade não é único e muito menos
possui receitas, e sim depende do conhecimento e da criatividade das partes envolvidas.

 

 

Por que certificar edifícios ?

 

 

As certificações não devem ser encaradas como “inimigas”, devemos estudá-las e
reelaborar o modo de projetar; ainda existem muitos problemas nas certificações, mas
devemos retirar delas o que há de bom (conceitos, elaboração, gestão).
As certificações que ingressaram no mercado vêm nos dizer que se precisa parar de se
fazer desta maneira imprópria (que acarreta problemas futuros- tanto de gestão, obra,
operação) para podermos elaborar os projetos de maneira completa e cuidadosa.
Devemos encarar as certificações como um ponto importante (de “pit-stop”), ou seja,
visualizarmos que deixamos para trás uma forma totalmente equivocada de prática de
elaboração de projeto.
A defesa que devemos fazer no momento é sobre o modo de elaborar, e confeccionar os
projetos arquitetônicos, que devemos levar certas considerações que as certificações
abordam. Não precisamos necessariamente certificar um projeto, mas devemos sim focar
na nova maneira sustentável de elaborá-lo.

Existem benefícios para as incorporadoras e construtoras adotarem a sustentabilidade nos

projetos arquitetônicos?

 

São vários os benefícios e resultados de maior relevância para as incorporadoras e
construtoras proporcionados como a incorporação da sustentabilidade como conceito estratégico da empresa; propagação dos preceitos de sustentabilidade nos vários níveis da organização, conduzindo à motivação pessoal e profissional dos inúmeros profissionais envolvidos; criação de diretrizes de produtos e processos responsáveis social e
ambientalmente; apreensão de oportunidades de otimização dos processos e diminuição
de custos pela redução dos impactos ambientais e sociais e pela responsabilidade com o desenvolvimento do capital humano e intelectual de seus agentes; seleção de
fornecedores de materiais, serviços e ferramentas que atendam às necessidades
ambientais e tópicos sociais; benefício nas relações com os entes envolvidos (público,
consumidores e clientes, fornecedores, meio ambiente, governo, dentre outros);
sistematização e controle da execução econômica, ambiental e social da empresa e de seus produtos e processos; melhoria da imagem corporativa da empresa pelas práticas
sociais e ambientais aplicadas e comunicação desse diferencial aos clientes e partes
interessadas.

 

 

Consegue-se que um projeto seja totalmente sustentável ?

 


É importante saber que existem muitas condicionantes que não se podem cumprir em um projeto sustentável, talvez por não estar desenvolvidas algumas questões, de mercado, de fornecedores, de clientes, a nível governamental e tudo mais. O foco é analisar a infraestrutura da cidade em que se encontra o terreno, visualizar os aspectos sociais, culturais, ambientais, e conferir a saúde financeira da cidade ou do município, conferindo qual é o “panorama” da cidade, ou seja, quais as questões que estão sendo mais desenvolvidas e quais as mais carentes, para que assim possam ser feitas escolhas adequadas ao desenvolvimento do que se quer proliferar corretamente com o projeto. O que se pode observar é que projetos de âmbito público, atingem resultados que contemplam uma comunidade maior, conferindo resultados satisfatórios e que abrange uma área maior e
atinge um número de pessoas satisfatório. Mas o que se pode visualizar, nesse atual
momento é que a sustentabilidade nas cidades não está sendo tratada de uma maneira
“corporativa” que contemple a população. Talvez por haver poucos profissionais
qualificados com as questões urbanas dentro do governo, e menos ainda antenados à
sustentabilidade. A idéia que se quer chegar não é a implantação de todos os elementos
da sustentabilidade de uma hora para a outra na cidade, mas sim aproveitar o momento
adequado e saber escolher o aspecto que se quer desenvolver dentro da cidade (ambiental,
social, cultural, viabilidade financeira) e convergir á um resultado satisfatório ou até
mesmo superar as expectativas.
Apesar, desses empecilhos, ainda sim é possível um resultado satisfatório para a
implementação de um projeto sustentável, é necessário pesar os pós e os contras,
avaliando quais são as escolhas mais adequadas.

                                 

                                     Fazemos o projeto, executamos a obra, vendemos e montamos os móveis.

                                           

                                 

                                     Seu apartamento ou sua empresa do jeito que você sempre sonhou, sem stress.

                                           

SustenArq / Rio de Janeiro- Rua das Laranjeiras 103- Loja E / Telefone (21) 3169-8468 / sustenarq@hotmail.com /© 2010 by SustenArq